Youup_pack_rgb-22.png

Juntos com você, somos a evolução!

VOCÊ RESPEITA AS EMOÇÕES DAS CRIANÇAS?


“Todas as emoções merecem existir, até a raiva, o medo e a solidão.” Esse é o título de um artigo recente do jornal Folha de São Paulo, escrito por Marcella Franco.


Eu amei o texto e a oportunidade de ver publicado um artigo que traz a importante reflexão sobre a relevância de se perceber e demonstrar interesse pela compreensão das emoções que as crianças experimentam.


Sim, respeitar a individualidade das crianças é um ótimo ponto de partida. E sensibilizar-se pelos fatores que afetam a sua rotina, suas tarefas, expectativas, sonhos, frustrações e etc é necessário.


Se pudermos falar sobre estas coisas, podemos vê-las mais claramente e entender que estar triste, solitário ou assustado são sentimentos que todas as pessoas têm.


O artigo cita Christian Dunker, que é psicanalista, professor e escritor. Christian explica uma coisa importante sobre a raiva: que ela pode criar a sensação de que as pessoas sabem mais de nós do que nós mesmos.


“Os outros veem no meu rosto uma coisa que eu ainda nem sei que estou sentindo. E isso me faz ficar com mais raiva. É como se o outro estivesse controlando aquilo que sinto. Por isso, a gente às vezes tem vontade de sumir.”


Nestes casos, é legal parar e examinar o que está causando a frustração, e até avisar aos outros, se for possível.


A raiva é algo que todo mundo sente, e que gostaria de poder controlar mais, diz Christian. “Às vezes a gente acha que sentir raiva é uma coisa errada, mas não é”, garante.


“É muito importante a gente descobrir e respeitar quando quer ficar quieto”, ensina o psicanalista. “Às vezes a gente quer inspecionar o que tem dentro do armário da nossa cabeça, sem dar satisfação para os outros.


”Christian diz que, quando parece que ninguém acha a palavra certa para conversar, e tudo que se diz gera mais confusão e incompreensão, é normal ter vontade de “entrar no buraco”.


“E está muito certo fazer uma pausa. Vai para a sua estação de tratamento de pensamentos e emoções, mas volta o quanto antes. Pede desculpas. Isso pode ser meio chato, mas é o melhor caminho. Porque os outros não estão lendo a nossa cabeça, e a gente não está lendo a cabeça dos outros.”


Se você que é adulto se identifica ou concorda com o que o psicanalista explicou sobre como lidamos com a raiva, imagina como as crianças se sentem ao lidar com seus sentimentos e emoções?


Vou deixar aqui duas superdicas para lhes auxiliarem no dia a dia:


- As emoções são imprescindíveis e não existe emoção boa ou ruim. Todas são importantes porque acionam reações de sobrevivência em todos nós, não apenas adultos, mas também crianças.


- O grande segredo está em saber identificar a emoção, saber como lidar com ela de forma positiva e congruente.


Assim, com a capacidade de saber reconhecer as emoções, o próximo passo é saber identificar e gerir a origem e o desdobramento das mesmas.


Se você gostou dessas dicas, fique atento porque falaremos mais sobre a Saúde Emocional nos próximos artigos e posts em nossas redes sociais.


Vou trazer algumas novidades que vão mudar a sua forma de cuidar da sua Saúde Emocional.


Para saber mais sobre esse e outros assuntos, que tal baixar gratuitamente o meu e-book sobre Saúde Emocional? Também te convido a conhecer e inscrever-se em meu canal no YouTube e me seguir lá no Instagram: @margarethvieiraribeiro e @youup.evolution











Margareth Ribeiro, criadora do método Elos, exclusivo sistema de mentoria e coaching.

Para agendamento de Mentoria e Coaching clique aqui neste link.

4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo